Archive for Janeiro, 2009

h1

Diário vindo do futuro, de um aluno que hoje tem 11 anos e está a viver as reformas do nosso sistema de ensino.

Janeiro 31, 2009

destaque_sistema_ensino29 de Junho de 2009
paçei o 5º anuh. A p*ta da stora de mat, k é a nossa dt, n m kria deixar paçar pk eu tnh nega a td menus a ginástica, pk jogo bem há bola, e o crl… mas a gaija f*deu-se puke a ministra da idukaxão mandou dizer ao ppl k penxam q mandam aí nas xkolas masé pabaixarem os kornos k tds os socios com menos de 12 anus teiem de paçar… axu bem.

29 de Junho de 2010
passei o 6º anuh. ainda bem q ainda n fiz 13 anus, q ódpx podia n passar, qesta cena de passar com buéda negas é só até aos 12… f*da-se, fiquei buéda f*dido na m*rda deste ano, e ó c*ralho, o pan*leiro do stor d educassão física deu-me a m*rda do 2… assim tive nega a tudo… ainda bem q a ministra da iduqaxão é porreira, ela é q é uma sócia sbem: a xqola n serve pa nada, é uma seca. tive q aprender que os K’s se escrevem Q, qomo em “xqola” e não “xkola”, e que “passar” não é qom Ç… a xqola é porreira só pa qurtir qas damas qd gente se balda…

29 de Junho de 2011
Passei o 7º ano. Exte anuh ia chumbando pq tive nega a qase td menos a área de projetuh, mas aqela cena tb é facil, n se fax nd… Exte anuh a dt disse-me q eu passava pq tinha aprendido qas fraxex qomexam qom letra maiúscula e pq m abituei a exqrever qom Q em vez de K, tipuh agora ja xei xqrever “eu qomo qogumelos qom quentruhs” em vez de “eu komo kogumelos kom kuentruhs”. É fixolas, pode xer qum dia venha a ser um gamela famôzo…

29 de Junho de 2013
Passei o 9º ano. Foi buéda fácil, pqu a prof paxou-me logo. Fui ao quadro xqurever uma sena em qu dezia tipuh “aquela janela”, e eu exqurevi “aqela janela”, pqu dixeram-me qu n se xkqureve “akela”, é quom Q e não quom K. Mas a profs desatinou quomiguh e dixe qu eu tnh qu pôr o U à frente do Q… Pur ixu exte anuh aprendi qu o Q leva U à frente. No próximuh anuh é o 10º, vou pá sequndária…

29 de Junho de 2014
Aquabei o 10º ano. Não foi muituh difícil só tive que aprendermos a não exqureverem quom aberviaturas purque nem todas as palavras xe puderam aberviar mas ixtu foi uma bequa para o quompliquado purque quom esta sena do QU em vex de K e das aberviaturas exqueceram-me de quomo é que se faxião os verbuhs nos tempuhs e nas pexoas, ou lá o que é… Mas a prof disse tass bem que no prócimo anuh a gente vê ixu.

29 de Junho de 2015Passou o 11º ano. Foi mais fácil que o 10º. Aprendi que as frases devem ser mais qurtax. E aprendi também que “ano” não esqureve “anuh”. Axo que no prócimo ano vai ser mais difícil. Purque a xeguir é a faquldade.

29 de Junho de 2016
Acabou o 12º. Fiquei buéda confuso porque tive de aprender a diferenxa entre usar o QU e o C, tipo “esCrever” e não “esQUrever”. Quando eu usava o K era buéda mais fácil… A prof de português é buéda religiosa e anda a ouvir vozes de deus, porque dixe-me que eu não merexia passar, mas “xão ordens lá de xima”…

29 de Junho de 2017
Já fiz o primeiro ano da faculdade. Estou em ingenharia cevil na universidade lusófona. Tive um stor buéda mal iducado que me disse que eu era um ignorante porque às vezes escrevia com X em vez de CH, S ou C. Mas o meu pai veio cá com uma moca de rio maior e chegou-lhe a rôpa ao pelo. E depois fomos fazer queixa do gajo e a ministra despediu-o porque o gajo, não sei quê, parece que quis vir estragar aqui um muro nosso. Mas não sei essas senas. O meu pai é que me explicou uma cena qualquer de “danos murais”… O que é bom é que a ministra da iducação continua a mandar aqui nestes sócios da faculdade para eles não levantarem a garimpa contra nós.

29 de Junho de 2019
Acabei a minha licenciatura porque a ministra da iducação disse que tinhamos que passar sempre mesmo que não tivessemos notas, para não ficarmos astigmatizados. Acho que é uma cena que dá nos olhos quando se estuda muito. Agora vou fazer um mestrado e disseram-me que, quando acabar, vou ficar mestre. Eu quero ser de Kung-Fu.

29 de Junho de 2021
Já sou mestre. Afinal não sou de Kung Fu, sou de engenharia cevil. Os meus profs disseram que eu não devia estar em mestrado porque ainda não estava preparado, mas eu disse que o meu pai tinha uma moca de rio maior e que era amigo da ministra e já tinha mandado um bacano da laia deles para a rua e eles calaram-se. Agora vou fazer um doutoramento, porque a ministra da iducação diz que se não deixarem um aluno fazer o doutoramento só por causa das notas, ele fica com a auto-estima em baixo e isso perjudica a aprendizajem.

29 de Junho de 2023

Sou doutor. O meu orientador da tese ficou muito satisfeito porque eu já não dou erros ortográficos: ao longo destes dois anos, aprendi a escrever “engenharia civil” em vez de “ingenharia cevil” e também porque aprendi que a ministra é da “educação” e não da “iducação”, mas lê-se assim. Entretantos casei. A minha dama chama-se Sónia e os pais dela ficaram muito felizes por ela ir casar com um doutor em engenharia civil. Ela não sabe ler nem escrever: só fez até ao 2º ano da licenciatura e depois foi trabalhar para o Minipreço. Já tá grávida.

29 de Outubro de 2023
Nasceu o meu filho! Chamei-lhe Júnior porque ele é mais novo que eu.

29 de Agosto de 2029
O Júnior vai fazer 6 anos daqui a 2 meses. Devia entrar para a escola este ano, mas estive a pensar muito bem e não o vou pôr na escola. Ele não precisa daquilo para nada, aprende em casa. Eu ensino-lhe a ler, que sou doutor, e a mãe ensina-lhe a fazer contas, que é caixa no Minipreço. A escola não vale nada. Acho que o sistema de ensino hoje em dia é uma m*rda. No meu tempo é que era bom.

h1

Alto e Mau Som…Volume de som nos MP3…

Janeiro 29, 2009

mp3

h1

Uma questão pertinente… nos dias que correm

Janeiro 28, 2009

crimeorganizado

h1

Aristides de Sousa Mendes é tema de peça em Londres

Janeiro 27, 2009

asm1A história de Aristides de Sousa Mendes vai ser dramatizada em Londres por uma companhia de teatro dirigida pela portuguesa Alice de Sousa, que espera assim dar a conhecer os feitos do diplomata ao público britânico.

Sousa Mendes (1885-1954) era cônsul de Portugal em Bordéus quando, em Junho de 1940, perante a invasão de França pela Alemanha de Hitler, assinou milhares de vistos permitindo a judeus de várias nacionalidades escapar à perseguição nazi.

O diplomata contrariou as ordens do Governo de Salazar, o que levou à sua expulsão da carreira diplomática, tendo morrido na pobreza.

A peça chama-se “Aristides – The Outcast Hero”, que reflecte o retrato de herói desprezado.

“Acho que é uma história fantástica”, disse a dramaturga e actriz portuguesa, que dirige a Galleon Theatre Company, baseada em Greenwich, sudeste de Londres.

“É uma história extraordinária que não é conhecida em Inglaterra e é uma oportunidade única de trazer a vida, a história e as acções deste grande português ao conhecimento do público britânico”, disse à agência Lusa.

O texto é original, escrito por Alice de Sousa “durante quatro anos com a ajuda dos netos do senhor Aristides de Sousa Mendes” e dos livros de história.

A estreia terá lugar dia 27 , com a presença de familiares do diplomata português, e coincide com o dia em que se recordam no Reino Unido as vítimas do Holocausto.

A peça está em ensaios com um elenco exclusivamente inglês cuja maior dificuldade tem sido dizer palavras portuguesas com a pronúncia certa.

Em paralelo, Alice de Sousa tem projectos para produzir filmes com os textos de “Inês de Castro” e também “Aristides”.

h1

España Medieval

Janeiro 10, 2009

spain1

h1

No momento certo :D

Janeiro 9, 2009
h1

Dialogo a dois.

Janeiro 8, 2009

ovelha-49171